Caverna da Peña de Candamo

A Arte Rupestre mais notável da Europa Atlântica

 

A Pré-história em Astúrias foi muito activa. Prova deste dinamismo são os abundantes vestígios dessa etapa existentes na região, desde abrigos até cavernas, com pinturas, gravuras e símbolos dignos de rigorosas investigações e perfeitos para conhecer os tempos da aurora da Humanidade.

Dada a quantidade e qualidade da sua Arte Rupestre, Astúrias conta com cinco Cavernas classificadas como Património da Humanidade pela Unesco, contendo algumas das amostras mais notáveis da Arte Rupestre de todo o continente europeu.

E, é claro, muitas destas cavernas são visitáveis!

 

 

Via Romana de La Carisa

Vias romanas com esplêndidas vistas panorâmicas

 

Os romanos e o seu Império puseram logo os olhos em Astúrias, ficando cativados por esta terra por várias razões, entre elas, as imensas riquezas auríferas que brotavam das entranhas do ocidente de Astúrias. O ouro asturiano sustentou em grande parte os cofres imperiais e, graças a esta relação comercial e social, foram criadas grandes obras de engenharia como pontes - algumas das quais ainda são visíveis actualmente -, e vias de comunicação (que eram as auto-estradas de hoje em dia), as quais venciam importantes desníveis e sulcavam vales e montanhas.

Astúrias conserva boa parte daquelas vias romanas. Algumas delas, como La Carisa ou o Camín Real de la Mesa, destacam-se pela sua beleza e são itinerários com maravilhosas vistas panorâmicas e paisagens incríveis, perfeitos para os amantes da história, da caminhada ou de qualquer actividade na natureza.

 

Santa Cristina de Lena

Uma arte única no mundo: A Arte Pré-românica

 

A Arte Pré-românica, ou Arte Asturiana designa a arte criada em Astúrias com o surgimento da Monarquia Asturiana, lá pelo século VIII. O Reino de Astúrias foi o primeiro reino cristão da Península Ibérica e, ao longo dos seus mais de duzentos anos de existência, deu lugar a uma arte única no mundo, da qual existem actualmente notáveis testemunhos, como por exemplo, Santa María del Naranco e San Miguel de Lillo, que foram classificados como Património da Humanidade pela UNESCO há trinta anos.

Os templos pré-românicos, localizados no topo de uma montanha, na beira de um rio, de frente para o mar, ao lado do Caminho de Santiago, etc., irão transportá-lo para a simplicidade e autenticidade de um pequeno reino medieval de sonho.

Poderá fazer um itinerário visitando um por um!

 

 

Celeiro típico

Os Hórreos, um verdadeiro sonho suspenso no ar

 

Os Hórreos - antigos celeiros e despensas rurais - foram um dos grandes inventos da Humanidade, e em Astúrias possuem uma personalidade única e forte enraizamento. Sem este armazém tão peculiar, destinado a proteger as colheitas da humidade, dos roedores e das vicissitudes, a evolução humana tivesse seguido outro rumo.

Em Astúrias actualmente têm mil usos: o uso tradicional, mas também são utilizados como local de recreio e descanso, como ornamento nas aldeias, ou como testemunho vivo de um passado nem tão distante.

Realmente chamam a atenção e constituem uma das marcas de identidade da vida rural asturiana!

Cidades de Astúrias

As cidades asturianas: triângulo de cultura, glamour e shopping

 

Oviedo, a capital de Astúrias, no centro da região, e Gijón e Avilés - localizadas na costa – são as urbes mais populosas da região. São cidades com dimensões acessíveis e acolhedoras, muito aconchegantes e agradáveis para viver e para visitar. Ideais para o passeio, para desfrutar do ambiente e da cultura asturiana, as três – próximas e bem comunicadas entre si – constituem um glamouroso triângulo de elegância e lazer, ideal para o shopping e para viver novas sensações e estilo de vida.

 

Castro de Coaña

A importância da cultura castreja

 

Astúrias conserva e mantém vivos abundantes exemplos da cultura castreja, desenvolvida na Idade do Bronze no noroeste da Península Ibérica. Os castros chamam a atenção pela sua estrutura, e também pela sua localização, já que geralmente estão situados em locais estratégicos com excelentes vistas panorâmicas, alguns deles próximos do mar.

Coaña, Chao Samartín, San Chuís são algumas referências castrejas no ocidente asturiano - onde se encontram a maioria dos vestígios castrejos – que evidenciam uma cultura e um estilo de vida muito valioso na evolução humana, e também se encontram situados em locais de espectacular beleza.

Os castros irão deixá-lo impressionado!

 

Caminho de Santiago

A origem do Itinerário Jacobeo e dos Caminhos de Santiago do Norte

 

A origem do Caminho de Santiago está em Astúrias. Foi a utopia espiritual, social, política e estratégica de um rei asturiano: Alfonso II, el Casto. E, do século IX até hoje, tem-se tornado o mais importante e significativo itinerário cultural da Europa, transitado ao longo destes mil e duzentos anos por milhões de peregrinos.

Justamente por ser o ponto de origem do Itinerário Jacobeo, para conhecer verdadeiramente a história e a verdade do Caminho de Santiago é imprescindível visitar a Catedral de San Salvador de Oviedo, bem como percorrer algum trecho do Caminho Primitivo e do Caminho da Costa, que atravessam Astúrias.

Desta forma, você tomará contacto com o primigênio Caminho de Santiago!

 

 

Ferreiro em Mazonovo

Uma das maiores reservas etnográficas e artesanais da Península Ibérica

 

Astúrias, dada a sua imensa riqueza natural, rural e paisagística, constitui uma das grandes reservas etnográficas e artesanais da Espanha. Toda a história da sobrevivência humana no meio rural pode ser admirada nos Museus, como o Museu Etnográfico de Grandas de Salime, o Museu de Grado, o Museu de Porrúa (Llanes), ou o Museu do Povo de Astúrias, em Gijón.

Y se falarmos de engenhos hidráulicos, moinhos e ferrarias, tanto Los Oscos como Taramundi, são um autêntico parque temático ao ar livre. Locais como Os Teixois (Taramundi), ou Mazonovo (Santa Eulalia de Oscos) são uma viagem para outra época.

Igualmente, os artesãos das navalhas de Taramundi, os ferreiros de Los Oscos, os fabricantes de tigelas de madeira de Ibias e Degaña, os tamanqueiros, os pedreiros, os azevicheiros, etc. compõem um mapa artesanal tão rico e variado que é único na Europa.

Astúrias é um verdadeiro paraíso artesanal onde você poderá deleitar-se e praticar shopping!

O Palácio de Partarríu

Arquitectura Indiana (Estilo Colonial): o bom gosto dos asturianos da diáspora

 

A Arquitectura Indiana em Astúrias está fortemente ligada aos asturianos que emigraram para a América, fizeram fortuna e retornaram à terra natal (designados de indianos) para cooperar no progresso dos seus vizinhos através de diversas obras de tipo social e, ao mesmo tempo, construíram casarões onde combinavam o gosto pelas Américas e a afeição pela sua terra asturiana.

Dessa mistura surgiu uma arquitectura amigável, esteticamente chamativa e colorista, onde os mais mínimos detalhes são cuidados, tanto no exterior como no interior, a um ponto tal que algumas casas indianas são verdadeiros palacetes, cujos jardins são autênticas obras de arte concebidas para o descanso e o lazer.

Em Astúrias conservam-se muitas casas indianas, algumas delas são moradias privadas, mas outras são hotéis ou museus e, portanto, podem ser visitadas.

A arquitectura indiana é consubstancial à alma e ao passado de Astúrias!

Festa of La Regalina

Astúrias, paraíso festivo e tradicional

 

Astúrias é um território lúdico e festivo por excelência. Em Astúrias comemora-se tudo: cada nova estação do ano, as mais ancestrais tradições gastronómicas, os costumes mais típicos, as efemérides mais significativas, as devoções mais enraizadas, a amizade, a beleza da paisagem, as gestas heróicas, ou simplesmente o facto de estar vivo.

Daí que Astúrias seja um verdadeiro paraíso festivo e tradicional.

Você ficará deslumbrado com a originalidade e a animação das suas festas!