O Caminho do Salvador

O Caminho do Salvador é crucial na hora de abordar a relação das Astúrias com os caminhos compostelanos. Devemos regressar ao ano 1075, momento no qual o rei Afonso VI procedeu à abertura da Arca Santa e saíram à luz as relíquias que durante vários séculos tinham repousado no seu interior.

Altar Maior da Catedral de San Salvador (Oviedo/Uviéu)Altar Maior da Catedral de San Salvador (Oviedo/Uviéu).
O valor da descoberta, devida, fundamentalmente, ao cariz simbólico do Santo Sudário, não só fez com que Oviedo/Uviéu reforçasse a sua condição de ponto de saída para todos aqueles que peregrinavam a Santiago: também propiciou que a capital asturiana se convertesse em centro de peregrinação pelos seus próprios méritos. Tornou-se célebre, nos remotos tempos do Medieval, uma estrofe popular que exemplifica bem a importância deste trajeto e que ainda hoje recitam muitos dos que chegam às Astúrias seguindo as pegadas que conduzem ao sepulcro do apóstolo:

Quem vai a Santiago
e não vai ao Salvador
visita o criado
e esquece o Senhor.

AS ETAPAS

O Caminho do Salvador nasce em Leão, às portas do antigo hospital de peregrinos de San Marcos. Dali, o traçado oficial reconhece cinco etapas, das quais as três últimas decorrem por solo asturiano. Cabe ainda dizer que, tal como ocorre em todas as rotas, ambos os trechos podem alongar-se ou encurtar-se em função das necessidades dos caminhantes e as possibilidades de alojamento disponível nos diferentes pontos do itinerário.
  • 1. Puerto de Pajares - Campumanes 22,1 km
  • 2. Campumanes - Mieres del Camín 19,0 km
  • 2. Mieres del Camín - Oviedo/Uviéu 18,4 km
Sinal do CaminhoSinal do Caminho.
Mapa do Caminho do Salvador
Praça Requejo (Mieres del Camín)Praça Requejo (Mieres del Camín).
Daí que houvesse muitos romeiros que, ao chegar a León, optavam por se dirigir para a montanha asturleonesa para visitar Oviedo/Uviéu e dali prosseguir o seu caminho por terras de Las Regueras, Grau, Salas, Tineo, Allande e Grandas de Salime; mas também que não poucos fizessem esse mesmo trajeto à volta, uma vez preenchidas as suas orações em Compostela, quando em plena viagem de regresso aos seus lares passavam pela Câmara Santa para se prostrar diante do "Senhor" que tinham obviado no trajeto de ida.

O Caminho do Salvador surge, assim, como um desvio do Caminho Francês que permitia aos que o tomavam entroncar com o Caminho Primitivo se assim o desejassem, mas também propunha um final de rota com plenário sentido por si mesmo.

Da relevância que teve este itinerário nas Astúrias medievais dão fé tanto o rasto que deixou a tradição compostelana em alguns topónimos (talvez o mais importante seja o da vila de Mieres del Camín, a que ainda se apelida "do Caminho") como a existência de restos que falam de hospitais de peregrinos ou velhos templos levantados para dar cobertura espiritual aos caminhantes que chegavam à região do outro lado dos montes.

Maciço do Ubiñas-La Mesa visto de La Cobertoria (Lena)Maciço do Ubiñas-La Mesa visto de La Cobertoria (Lena).
Passos na montanha

Vistas da Sierra del Aramo desde La Manxoya (Oviedo/Uviéu)Vistas da Sierra del Aramo desde La Manxoya (Oviedo).
A rota que conduz de Leão a Oviedo/Uviéu é, fundamentalmente, uma rota de montanha. Apesar de que o maior obstáculo, em sentido ascendente, se encontra na vertente leonesa, a parte asturiana do percurso não desmerece no referente à orografia. Ainda que o mais duro, a subida ao porto de Payares, tenha ficado atrás, as subidas a Chanos, El Padrún ou Picullanza e La Manxoya -de onde se conta que os antigos romeiros exclamavam "Meu Deus!" ao verem desenhar-se sobre o horizonte a torre da catedral- requerem uma boa forma. Em troca, o itinerário presenteará com paragens de beleza majestosa, especialmente à medida que se vai saindo de Payares e propõe um trajeto singular pela bacia mineira que segue o curso dos rios Lena e Caudal e deixa à vista um ou outro resto de arqueologia industrial.

Vista traseira da Catedral de San Salvador (Oviedo/Uviéu)Vista traseira da Catedral de San Salvador (Oviedo/Uviéu).
Vestígios do passado

Sob a velha estação de caminhos de ferro de Payares, suspensa entre a névoa numa paisagem quase inverosímil, inicia-se uma rota em que não ficam demasiadas pegadas medievais. A primeira, no entanto, é de uma grande importância.

Isso deve-se à elegância das suas formas e, sobretudo, ao soberbo iconóstases que a caracteriza e faz dela uma visita irrenunciável. No trecho que vai de La Pola -onde está a casa natal do poeta Vital Aza- até Mieres del Camín, merece uma visita a igreja de Santa Eulalia de Uxo, que conserva uma capa e uma abside românicas.

Bustiello (Mieres)Bustiello (Mieres).

A igreja de Santa Cristina de Lena, construída durante a época da Monarquia Asturiana e inscrita ao período ramirensa, é um dos edifícios pré-românicos mais paradigmáticos das Astúrias.

O Caminho entra em Mieres del Camín pela emblemática ponte da Cadela e abandona-a pela não menos popular praça de Requejo. A uns poucos quilómetros, em La Rebollá, existiu uma hospedaria e o templo paroquial ainda conserva uns quantos cachorros de traça românica. Aos pés do povoado, e como curiosidade, encontra-se um pequeno cemitério protestante onde repousam os restos de Numa Guilhou, fundador da Fábrica de Mieres. A fonte barroca de los Llocos é outro lugar onde vale a pena parar antes de desembocar em Olloniego/Lluniego, localidade que, inevitavelmente, chama a atenção pela sua ponte românica e pelo conjunto que conformam o torreão e o castelo, levantados também em época medieval. O Caminho conclui na catedral de Oviedo/Uviéu, cuja Câmara Santa marca o final definitivo da viagem.

Iggreja de Santa Cristina de Lena (Lena)Iggreja de Santa Cristina de Lena (Lena).

Itinerário e etapas do Caminho do Salvador

Puerto de Pajares - Oviedo/Uviéu: 59,5 km.
Puerto de Pajares - Campumanes - 22,1 km
Puerto de Pajares | Samiguel | Santa Marina | Chanos | Fierros | Fresneo | Erías | Campumanes
Campumanes - Mieres del Camín - 19,0 km
Campumanes | Santa Cristina de Lena | La Vega'l Ciigu | La Pola| Vil.layana | Uxo | Mieres del Camín
Mieres del Camín - Oviedo/Uviéu - 18,4 km
Mieres del Camín | La Rebollá | Alto del Padrún | Olloniego/Lluniego | Picullanza | La Manxoya | Oviedo/Uviéu
Subir al inicio