• Español
  • English
  • Français
  • Deutsch
  • Italiano
  • Portugués

Olhe à sua volta.
Admire o património industrial


Silhuetas de andaimes mineiros a presidir o horizonte, caminhos de metal transitados por máquinas de vapor, povoados nascidos do paternalismo industrial... Todos eles são o testemunho da riqueza que brota do subsolo, dos rios e do fundo dos mares, de como valentes homens e mulheres procuraram domar a natureza.

Esta imagem pouco tem que ver com as Astúrias rurais do século XIX, que viviam da agricultura e da pecuária e que contavam com umas poucas fábricas conserveiras e outras de armas inauguradas no século XVIII. Os seus homens e mulheres conheciam o carvão havia, pelo menos, dois séculos, embora nunca tivessem mostrado interesse em explorá-lo. Mas a industrialização requeria combustíveis e as jazidas asturianas eram demasiado cobiçadas.
Museu da Mineração e da Indústria
A não perder...
  • Museu da Mineração e da Indústria das Astúrias -MUMI- (L'Entregu/El Entrego-San Martín del Rey Aurelio).
  • Ecomuseu Mineiro Valle de Samuño (Ciañu/Ciaño-Langreo).
  • Poço Sotón (Sotrondio-San Martín del rey Aurelio).
  • Povoado Mineiro de Bustiello (Mieres).
  • Museu da Mina de Arnao (Arnao-Castrillón).
  • Museu do Caminho-de-Ferro das Astúrias (Gijón/Xixón).
A extracção do carvão trouxe tudo o resto. Com a mineração veio a metalurgia-siderurgia e a produção de energia, alimentada também pela abundância de água. Os caminhos-de-ferro tornaram-se o fio condutor da industrialização. A sua passagem foi transformando a paisagem do Principado e conduzindo-o ao futuro.

Museu da Siderurgia das Astúrias
O património industrial asturiano, protegido pela Lei do Património Cultural, inclui três tipos de bens: elementos isolados, como a Fábrica de Tabacos, situada em pleno centro de Gijón/Xixón; conjuntos industriais, como o de Arnao ou a Fábrica de Armas de Trubia; e paisagens complexas que ligam diferentes actividades, como acontece nas bacias do Nalón ou do Caudal e, mais concretamente, com a paisagem mineira de Turón.


Recomendamos...

A experiência mineira no Vale do Nalón

A bacia do Nalón oferece três formas de nos aproximarmos da mineração e da sua importância urbanística, social e económica. A primeira é através do Museu da Mineração e da Indústria de L'Entregu/El Entrego, percorrendo o seu completo espaço expositivo. A segunda é seguindo esta indicação: "Venha conhecer um vale, uma aldeia e uma mina". É assim que o Ecomuseu de Samuño se apresenta ao viajante. A experiência permite percorrer dois quilómetros de comboio seguindo o percurso através do qual era transportado o carvão extraído das explorações, visitar o conjunto exterior do antigo Poço San Luis e explorar a envolvente da localidade de La Nueva. A terceira alternativa, muito mais intensa, é a de penetrar directamente na escuridão da mina, onde se forjou o solidário carácter dos mineiros. A companhia Hunosa disponibiliza visitas guiadas ao Poço Sotón. Desce-se até 556 metros na típica jaula e são percorridos o oitavo, nono e décimo pisos.
Mina de Arnao
Estes bens e estruturas industriais povoam o horizonte asturiano. Partir numa viagem pelas estradas do Principado significa ver o perfil dos andaimes que fazem descer as jaulas até aos poços, a arquitectura singular dos bairros mineiros, as fábricas, os antigos depósitos de gás ou as desafiantes chaminés. São surpreendentes o reabilitado centro de empresas Valnalón, o povoado mineiro de Bustiello ou os andaimes e as bocas-de-mina de Mosquitera, Candín ou San Fernando. O Salto Hidráulico de Salime, a barragem de maior tamanho das Astúrias, esconde no seu interior pinturas murais e baixos-relevos dos arquitectos e artistas, além de pai e filho, Joaquín Vaquero Palacios e Joaquín Vaquero Turcios.

As estradas também contornam exemplos da possante indústria agro-alimentar ou de outras artes tradicionais.

Salto Hidráulico de Salime
Antigo cais de carvão em San Esteban de Pravia
A fábrica de sidra El Gaitero completa a sua actividade com visitas guiadas a uma colecção permanente e à adega, com uma degustação final. Também um grande número de lagares sidreiros o faz. A indústria conserveira chegou a ter quase uma centena de fábricas abertas, que representavam uma jazida de emprego tradicional para as mulheres. A Exposição Permanente da Indústria Conserveira de Candás está no antigo algibe da Fábrica de Conservas e Sidra Bernardo Alfageme. Existe uma completa rede de equipamentos que ajuda a compreender tanto as actividades industriais como as condições de trabalho dos seus trabalhadores e as sociedades que cresceram em seu redor.
Indústria conserveira
O Museu da Mineração e da Indústria (MUMI) de L'Entregu/El Entrego regista a memória histórica da exploração do carvão e reproduz uma mina-imagem. O Museu da Siderurgia (MUSI) foi construído numa torre de refrigeração de uma antiga fábrica de Duro Felguera, em Llangréu/Langreo. O conjunto mineiro de Arnao conta com uma particularidade que o distingue do resto: algumas das suas galerias avançam sob o mar. A antiga Estação do Norte, em Gijón/Xixón, é na actualidade um Museu do Caminho-de-Ferro das Astúrias (MFA) que lembra a sua história estruturante.

Museo del Ferrocarril
Poblado minero de Bustiello