• Español
  • English
  • Français
  • Deutsch
  • Italiano
  • Portugués

Gastronomia.
Pense com o estômago


A frota leva à terra o melhor peixe. As abundantes criações são a base necessária para elaborar queijos. A estrutura de pequenas hortas e quintas é o principal fornecedor de fruta e legumes e da matéria-prima para a sidra ou o vinho. A indústria agro-alimentar mistura inovação e tradição nos seus processos de elaboração.


Uma viagem nunca estará completa sem nos sentarmos a uma mesa e saborearmos uma "fabada", um "cachopo", uma linguiça de Avilés, uma pescada de anzol ou umas cebolas recheadas.

Também sem degustarmos um arroz-doce, uns "frixuelos" ou umas "marañuelas", as de Lluanco/Luanco ou as de Candás, as duas localidades que disputam a originalidade da receita.
Frixuelos, casadielles e arroz-doce

Recomendamos...

A não perder...
  • Museu da Sidra e visita com degustação a um "llagar" (lagar).
  • Museu do Vinho e visita com degustação a uma adega do vinho DOP Cangas.
  • Gruta-exposição do queijo Cabrales e visita com degustação a uma queijaria.
  • Leilão ao vivo numa lota de pescadores.
  • Não deixe de experimentar: "fabada", cebola recheada de atum, arroz-doce, "casadiellas", "cachopo", pescada ou "pixín" (tamboril), pote asturiano, arroz com "pitu caleya" (frango do campo), vitela ou "cabritu" (cabrito) assado.
  • Saboreie os nossos manjares em: "Mesas de Asturias" – Excelencia Gastronómica – e "Sidrerías de Asturias" – Calidad Natural.
A qualidade da matéria-prima é reconhecida com múltiplas figuras. Seis produtos do Principado contam com o selo de Denominação de Origem Protegida (DOP): a Sidra, Vinho e os queijos Cabrales, Gamonéu, Casín e Afuega'l pitu. Com Indicação Geográfica Protegida (IGP) estão também a Vitela Asturiana, o "Chosco" de Tineo, o queijo de Los Beyos e a "Faba" das Astúrias. Existem outros alimentos de altíssima qualidade com certificado de produção biológica que abrangem uma selecção de legumes, o "gochu" (porco) asturcelta, a "oveya" (ovelha) xalda e também elaborados como os iogurtes, o pão ou as geleias.
Faba das Astúrias

Visite uma gruta de Cabrales

Vários produtores abrem as suas grutas para conhecer em primeira mão os espaços onde é curado o famoso queijo de Cabrales. A Fundação Cabrales, na aldeia de Las Arenas, proporciona ao viajante uma visita guiada de 40 minutos dividida em duas partes. A primeira entra na gruta e passa entre as peças enquanto contam de forma pormenorizada todo o processo de elaboração, da recolha do leite ao momento em que se decide quando está pronto. A segunda consta de um audiovisual que completa a informação.

Gruta de queijo Cabrales
Consciente da importância de todos estes produtos, o Principado desenvolveu o selo de garantia denominado "Alimentos del Paraíso Natural", que poderá incluir de produtos frescos como carnes, peixes, frutas ou mel, a outros elaborados, como os queijos, as conservas ou os pratos preparados. O requisito indispensável para todos é a qualidade, da matéria-prima e do processo de elaboração, caso exista. Até este momento, este selo existe no mirtilo, no quivi, no mel, no queijo de cabra, no repolho recheado e nos "carajitos".

Cozinha tradicional
Queijo Gamonéu DOP
São guardiãs da tradição as "guisanderas", um clube de cozinheiras e proprietárias de restaurantes que cuidam e mimam a cozinha tradicional asturiana. O outro lado da excelência é representado pelos cozinheiros Michelin, que inovaram a cozinha asturiana partindo da base.

O Principado criou, igualmente, marcas de qualidade através das quais se pode conhecer um oceano de sabores. "Mesas de Asturias" – Excelencia Gastronómica – já tem anos de rodagem. Mais recente é "Sidrerías de Asturias" – Calidad Natural –, em fase de expansão.

Sidrarias das Astúrias
Com o braço estendido até ao tecto, sustendo uma garrafa verde, verte o líquido na borda de um largo copo de vidro, enquanto os salpicos molham um balde. A cena é protagonizada por um escanção que está a servir sidra, a bebida asturiana por excelência. Não se trata de uma representação etnográfica. É um gesto que se repete diariamente em cada sidraria. A sidra é uma parte fundamental da gastronomia e da cultura. Para a compreender, não basta prová-la. É preciso viver o processo completo, da selecção da maçã no pomar ao processo de fermentação e à festa que se organiza para a primeira degustação, denominada "espicha".

Servir sidra
Cada vez se programam mais experiências singulares que permitem até sentir o cheiro e o ambiente do lagar. A partir da recta final da Primavera, é fácil tropeçar com algum concurso de produtores ou de escanções. Entre os mais prestigiados encontram-se os de Nava, Villaviciosa e Gijón.

Cozinha de autor

Conselhos para servir um "culete"

Adopte uma posição confortável, com as costas direitas e as pernas abertas à altura dos ombros. Pegue na garrafa com a mão direita, de forma firme, a partir da base. Pegue no copo com a mão esquerda, com os dedos indicador e polegar à volta do vidro e o médio por baixo. Levante o braço com a garrafa, direito, por cima da cabeça, com a boca à frente da testa. Coloque o copo mesmo entre as pernas e, com o olhar fixo nele, comece a inclinar gradualmente a garrafa, controlando o peso, até o líquido cair no extremo do copo. Guie o copo em direcção ao fio de sidra. Serve-se uma proporção suficiente para beber de uma só vez, um "culete".

Servir sidra
Para aqueles que preferem o vinho, o sudoeste é o seu lugar, com o vinho DOP Cangas. A paisagem encontra-se salpicada de socalcos de vinhas ancorados nas montanhas. A fundação do Mosteiro de Corias em 1032 serviu para impulsionar a produção vinícola. Neste momento vive uma nova juventude graças a uma associação de produtores e elaboradores que obteve o selo DOP. O Festival da Vindima, no Outono, é uma boa altura para o experimentar.


Vinho DOP Cangas
Em tábuas de degustação, em creme como acompanhamento de carnes ou como sobremesa elaborada por um doce artesão: dizem das Astúrias que é a maior mancha queijeira da Europa. Também se chama a terra dos mais de 40 queijos artesanais, a grande maioria amadurecidos em grutas e cabanas. O mais conhecido é o Cabrales, curado nas grutas dos Picos da Europa e com a Denominação de Origem desde 1981. É fácil encontrá-lo em mercados do mundo inteiro, de Nova Iorque a Paris. Seria quase crime recusar uma prova de qualquer uma das variedades.
Queijos das Astúrias
O calendário de festivais, certames, jornadas, concursos, feiras e leilões é praticamente inesgotável.