Das Fuentes del Narcea ao território vaqueiro

Cangas del Narcea, Ibias e Degaña são terras com uma grande riqueza paisagística e etnográfica. Cangas del Narcea, além do Parque Natural que partilha com Degaña e Ibias, é também a história da mineração e da viticultura nas Astúrias, contando para isso o vinho com a Denominação de Origem Protegida Cangas, além de um complexo museulógico dedicado ao vinho. A vila tem cantos encantadores, como a calle Mayor, e bairros tão antigos como Entrambasaguas e El Cascarín.

Os três concelhos formam o Parque Natural das Fontes do Narcea, Degaña e Ibias.

Edifícios de interesse são, sem dúvida, a pousada, antigo mosteiro de San Juan Bautista de Corias, e o santuário da Virgem do Acebo. Alguns povoados bonitos são Bisuyu, onde nasceu o dramaturgo Alejandro Casona; a subida a El Puertu; Xedré, Mual, Xinestosu e L.lamas del Mouru, onde estão os artesãos da cerâmica preta. Um dos encontros obrigatórios para os amantes da natureza é o do bosque de Muniellos.
VinhasVinhas.
Bosque de MuniellosBosque de Muniellos.
Mais inexplorados, mas não por isso menos formosos, são Degaña e Ibias. No primeiro, Trabáu, El Corralín e Fonduveigas são povoados com muito interesse etnográfico. Quanto a Ibias, os espigueiros com telhado de palhoça chamam a atenção do viajante. Outros, no entanto, têm-nos de lousa. Povoados espetaculares, muitos deles emparrados e surpreendentes, são Uría, Alguerdo, Valvaler, Seroiro e Pradías, além de Riodeporcos, a que se acede através de uma ponte suspensa.

Riodeporcos (Ibias)Riodeporcos (Ibias).
Terras cheias de história também, de tradições singulares, de cultura própria e de amor pelas raízes são as dos concelhos da Comarca de Vaqueira: Valdés, Salas, Tineo, Cudillero e Allande, apesar de também haver vaqueiros e raízes vaqueiras em Somiedo, Tevergas e Cangas del Narcea. O nome deve-se a que a todos estes sítios, portos e brañas, levavam os seus gados os vaqueiros de alzada.

VAQUEIROS DE ALZADA

Os vaqueiros de alzada surgiram como um grupo social concreto no século XV na zona centro-ocidental das Astúrias. São conhecidos por serem ganadeiros de gado bovino e por realizar a "alzada"; isto é, após viver no inverno nos povoados do vale, chegado o bom tempo "levantavam" literalmente a sua casa e, com todos os seus utensílios e o necessário para viver, iam passar a primavera e o verão com os animais aos portos, a viver nas cabanas enquanto atendiam e cuidavam dos seus animais. O seu isolamento geográfico, uma cultura própria e um modo de viver mais independente e livre fez com que durante séculos fossem mal vistos entre o resto da população, que os chamava por sua vez xaldos e marnuetos. Atualmente, as suas tradições, a sua cultura e a sua preocupação pelas transmitir ocupam o lugar que merece quanto à sua importância na história do povo asturiano, tendo superado com o tempo quantas barreiras surgissem, que significaram muitos anos de marginalização social.

Casamento vaqueiroCasamento vaqueiro.
Montefurado (Allande)Montefurado (Allande).
Allande é um concelho para aproveitar. Nele pode visitar-se Montefurado, no porto do Palo, ou povoados tão únicos como Bustantigo, Berducedo, Mon e Is. Imprescindível conhecer o povoado medieval de San Emiliano. Entre as suas brañas mais formosas está a de Campel. Os que procuram teixos com história devem ver os da igreja de Santa Coloma. O seu castro mais relevante é o de San Chuis. Valdés tem em L.luarca, a sua capital, um dos portos mais bonitos do Ocidente. Além de praias, para o interior merecem uma visita povoados como Trevías ou Brieves, sem esquecer o vale de Paredes, o seu caminho das foces do Esva ou brañas vaqueiras como Arcayana, Argumosu, Enverniegu e Aristébanu. Nesta última, limítrofe com o concelho de Tineo, todos os anos se celebra o casamento e o festival vaqueiros.

L.luarca (Valdés)L.luarca (Valdés).
Em Salas impressiona o seu centro histórico, com edifícios como a igreja de San Martín, a colegiada de Santa María la Mayor e a torre palácio dos Valdés-Salas. Também o teixo milenário que cresce no meio do cemitério, a subida ao santuário da Virgen del Viso e os formosos povoados indianos de Malleza, Mallecina e La Granja. Em Cornellana, há uma visita obrigatória: o exterior do mosteiro de San Juan Bautista, onde param os peregrinos. Como no caso anterior, também por Tineo passam os que vão para Santiago. Ainda que seja só pelo exterior, é preciso visitar os mosteiros românicos de Oubona e San Miguel de Bárzana; o precioso e impressionante carbayu (carvalho) de Valentín; Navelgas, com uma grande história de mineração romana e onde se continua à procura de ouro e Naraval, onde está o museu vaqueiro.

SalasSalas.

Poderio, assombro e paixão provoca no viajante a descoberta do porto de Cudillero, sem dúvida impressionante com o seu anfiteatro pendente sobre o mar.

Não deixam de ser menos belas as suas praias. Belíssimos o Cabo Vidío, o seu farol e o povoado de Oviñana, além dos que são limítrofes o vale das Luiñas, como Soto de Luiña e San Martín de Luiña. A partir daí, podem subir às brañas de Brañaseca, Gallinero e Cipiello, a partir de onde com bom tempo existem vistas espetaculares.

CudilleroCudillero.
Subir arriba